Terça-Feira
16 / 01 / 2018

Politica

Deputados cobram prorrogação da lei para renegociação de dívidas rurais

"Estamos apelando ao presidente para evitar os vetos e assinar a prorrogação que permitir essa negociação dos agricultores com dívidas vencidas"

10/01/2018 - Edivan Araujo


Imagem:Divulgação
Foto: 180graus

O coordenador da Bancada do Nordeste, deputado federal Júlio César (PSD), e deputada Teresa Cristina (PSB-MS) estiveram em audiência com o presidente Temer cobrando a manutenção de todo o texto da lei da renegociação das dívidas rurais, vencida em dezembro de 2017, para prorrogar a lei por mais um ano o prazo de adesão para renegociação dos agricultores.

Na reunião, Júlio César reclamou do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, que queria acatar integralmente o parecer do Ministério da Fazenda que pretendia vetar praticamente todo o texto da lei. Ele teve que recorrer e apelar diretamente para o presidente Temer para prorrogar a lei.

Essa lei deve beneficiar os agricultores das regiões Norte e Nordeste para renegociarem as dívidas rurais com o Banco do Nordeste, com o Banco do Brasil e o Banco da Amazônia. “Esses bancos não tiveram tempo e nem estrutura suficiente para atender aos 1,5 milhão de agricultores. As negociações foram em torno de 300 mil e ainda tem as dívidas com o Funrural com um passivo causado por decisões judiciais”, alegou o deputado Júlio César.

“Estamos apelando ao presidente para evitar os vetos e assinar a prorrogação que permitir essa negociação dos agricultores com dívidas vencidas”, completou o parlamentar.


Fonte: Com informações da Ascom

Comentários
Não encontramos nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!
Politica: Veja também
Facebook
Copyright - © - 2011 - 2018 AgoraED. Todos os direitos reservados.
Endereço: Rua XX, Quadra 16 Casa 39
Bairro Belo Norte - Picos - Piauí
Telefone (89) 9 8101-8323
Email: agoraed@hotmail.com
Recação AgoraED "A informação acima de tudo".
Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal.
Os demais não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.