Sábado
22 / 09 / 2018

Geral

PGE fará “pente-fino” em liminares de PMs reprovados

Segundo a procuradoria, são 35 casos.

06/01/2018 - Edivan Araujo


No caso de Aldo Luís Barbosa Dornel, o juiz Rodrigo Alaggio Ribeiro, da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública, revogou, por sentença, no dia 6 de setembro de 2016, a liminar que anulava o exame psicológico .
Foto: Reprodução Cidade Verde

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) criou um grupo de trabalho para fazer um pente-fino nas liminares de candidatos reprovados em alguma fase de concursos da Polícia Militar, mas que entraram na corporação após consentimento da justiça. Segundo a procuradoria, são 35 casos.

“O grupo foi criado agora em razão desses dois casos recentes envolvendo liminares com exame psicotécnico. Nós temos hoje em torno de 35 casos e vamos fazer um pente-fino em todos esses processos”, afirma o procurador João Pádua Filho.

Os dois casos a que o procurador se refere envolve os policiais Allisson Watson Nascimento e Aldo Luis Barbosa Dornel. O primeiro confessou ter matado a namorada Camilla Abreu em outubro do ano passado. O outro participou de uma abordagem que terminou na morte da menina Emily Caetano, no feriado de Natal. Os dois foram reprovados no exame psicológico.

“O trabalho é para saber qual processo já tem liminar, qual o que não tem, qual a liminar já caiu, inclusive para despachar com magistrados e resolver essa situação de uma vez por todas”, ressalta o procurador.

Segundo João Pádua Filho, dois procuradores foram designados para atuar no grupo. “É algo interno da procuradoria. Já está criado o grupo de trabalho e durará o tempo que for necessário”, declarou.

Ainda de acordo com o procurador, a PGE quer colocar um ponto final sobre os casos. “Vamos fazer uma análise de forma completa e detalhada e despachar com o judiciário para saber as providencias que podemos adotar para derrubar essas liminares. Nosso objetivo é único: resolver de vez essa situação”, finalizou.

No caso de Aldo Luís Barbosa Dornel, o juiz Rodrigo Alaggio Ribeiro, da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública, revogou, por sentença, no dia 6 de setembro de 2016, a liminar que anulava o exame psicológico e assegurava ao candidato a participação nas demais etapas do concurso público da Polícia Militar do Estado do Piauí. No entanto, a PM alegou  que nunca foi notificada.

Hérlon Moraes
Fonte: Cidade Verde

Comentários
Não encontramos nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!
Geral: Veja também
Facebook
Copyright - © - 2011 - 2018 AgoraED. Todos os direitos reservados.
Endereço: Rua XX, Quadra 16 Casa 39
Bairro Belo Norte - Picos - Piauí
Telefone (89) 9 8101-8323
Email: agoraed@hotmail.com
Recação AgoraED "A informação acima de tudo".
Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal.
Os demais não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.